Curta nossa página no Facebook!

  • Facebook - Grey Circle
  • Instagram - Grey Circle

Rua Itapeva, 286

cj. 51/52 Cerqueria César

São Paulo-SP

CEP: 01332-000
(11) 32890426

Buscar

Endometriose: o que é, por que dói tanto?


O que é Endometriose ?


Endometriose é uma condição na qual o endométrio, mucosa que reveste a parede interna do útero, cresce em outras regiões do corpo.


Essa formação de tecido ectópico normalmente ocorre na região pélvica, fora do útero, nos ovários, no intestino, no reto, na bexiga e no peritônio, delicada membrana que reveste a pélvis. Entretanto, esse tecido também pode crescer em outras partes do corpo.


A endometriose é um problema comum. Às vezes, ela pode ocorrer em gerações seguintes de uma mesma família. Embora, normalmente, a endometriose seja diagnosticada entre 25 e 35 anos, a doença provavelmente começa já alguns meses após o início da primeira menstruação.


Por que dói tanto?



A dor crônica é um dos maiores sintomas para quem vive com a endometriose. Algumas pessoas até podem saber o que ela é, mas a discussão sobre a doença tende a deixar de fora as histórias pessoais sobre como uma portadora realmente se sente.


A dor da endo é subjetiva. É uma sensação diferente para cada mulher, mas não devemos parar de tentar descrever a experiência com nossas próprias palavras.


Cada uma vive uma experiência diferente


É impossível falar definitivamente sobre a experiência com a dor, mas é importante pelo menos tentar verbalizar e explicar.


Dizer que a dor é “horrível” e “inexplicável” é parcialmente verdade, mas isso exclui o potencial suporte de alguém que está tentando entender sua doença.


Em termos gerais, existem vários tipos de dor que a maioria das mulheres com endometriose vivencia, mas nada disso é regra e pode variar:


- Dor abdominal;

- Dores nas costas;

- Dores nas pernas;

- Períodos menstruais doloridos;

- Dores de cabeça;

- Dor por conta da fadiga;

- Dores de efeitos colaterais causados por remédios ou tratamentos;

- Traumas emocionais;


Dor abdominal causada pela endometriose


O que se segue é apenas uma experiência da dor da endometriose. Ela não reflete todos casos, mas esperamos dar algumas dicas.


A endometriose parece com uma onda de dor súbita, tipo pontadas. Como se os nervos do seu abdômen estivessem sendo queimados por uma ferramenta extremamente quente. Esta dor apunhala a área abaixo do estômago e logo acima da virilha repetidamente, sem um padrão óbvio. Se você precisa imaginar a dor, pense em uma dor de dente aguda, mas presa em algum lugar (ou vários) na profundidade do seu abdômen.


A dor normalmente é acompanhada de uma sensação de puxão, como se essa região dentro de você estivesse presa/colada de alguma forma, impedida por alguma superfície invisível.

Ela não segue padrões, vem e vai a hora que quer. Pode ser por horas, dias ou semanas. Pode ser evitada por tratamentos contínuos e remédios para dor, ambos com efeitos colaterais únicos, e mesmo assim resultar apenas em um pequeno alívio.


A dor causada pela endometriose te persegue tanto no sono quanto no dia a dia, cansando seu corpo e causando fadiga crônica.


Crucialmente a endometriose pode ferir uma pessoa constantemente ou quase nunca, tal é a aleatoriedade da doença e seus efeitos colaterais. Este aspecto da doença é um dos mais difíceis de chegar a um acordo. As ondas de dor que aparecem (e talvez desaparecerem) ao longo de um ano tem um efeito enorme na qualidade de vida de uma mulher.


Dor nas costas


A dor da endometriose pode se espalhar naturalmente para a parte de trás do corpo, e isto é normalmente causado por dois aspectos da doença.


O fato de que o útero e os ovários estão próximos e o fato da pessoa afetada pela doença muitas vezes se encolher ou ficar em posições retraídas para evitar a dor, causando dores nas costas.

Isso é bem complicado, porque a combinação de dor abdominal e dor nas costas faz com que coisas como flexões, ficar sentada ou se mover demais sejam tarefas bem difíceis. Na pior das hipóteses, provoca incômodos até na hora de descansar ou sentar em uma posição confortável.


Dor nas pernas


Este é outro sintoma cruel da endometriose. A dor do abdômen espalha pelo quadril e causa dores nas pernas que podem causar dificuldades na hora de andar. Isso acontece por causa das aderências causadas pelos focos e que podem atingir o nervo ciático. Algo simples, como andar, se torna extremamente doloroso.


Período menstrual extremamente dolorido


A maioria das mulheres tem algum tipo de dor durante o período menstrual. Normalmente cólicas abdominais e dores na virilha.


Já as mulheres que desenvolveram a endo, sofrem com um período muito mais intenso por quase toda a sua vida adulta, um dos efeitos colaterais da endometriose não diagnosticada. Elas sofrem por anos com agonias mensais, ignoradas por médicos ou mandadas para casa apenas com analgésicos. Geralmente há pouca ou quase nenhuma tentativa de buscar a fundo a causa da dor.


É comum, mas não sempre, ser um dos primeiros sinais de que há algo errado com o corpo da mulher.


Essa reclamação é conhecida como dismenorreia, e faz com que complique ainda mais os casos de endometriose. Isso porque:


- Faz com que as pessoas pensem que é apenas um “período menstrual intenso”;

- Classifica a endometriose como uma “condição feminina”, ou algo como “nada para se preocupar”;

- Estabelece a ideia de que a endometriose só dói uma vez por mês, ou seja, “não é tão ruim assim”.


Um dos tratamentos mais comuns para endometrioses é prevenir a mulher de passar pelo período menstrual colocando-a em algum tratamento constante com contraceptivos orais, “enganando” o corpo para ele acreditar que ela está grávida ou na menopausa. Então mesmo mulheres que estão com a menstruação suspensa, também podem sentir dor, ou dores maiores durante o período em que o corpo deveria sangrar.


O trauma emocional


Um aspecto frequentemente negligenciado da endometriose é o trabalho emocional de lidar com a dor e fadiga crônica juntas.


Viver com endometrioses significa ter que lidar com alguns problemas emocionais:

- Administrar a dor que talvez nunca te deixe;

- Ter uma doença que não tem cura;

- Sentir-se mal e para baixo por falta de entendimento ou conhecimento geral das pessoas sobre a doença;

- Aceitar que ter filhos pode ser muito mais difícil e em alguns casos, sem solução;

- Lutar contra a fadiga crônica que afeta o corpo o tempo todo;

- Reaprender seus limites, sendo incapaz de fazer coisas que antes você gostava ou tendo que diminuir a frequência;

- Ter suas relações e amizades afetadas pela doença;

- Ser incapaz ou ter muita dificuldade de trabalhar;

- Viver com uma doença invisível que poucos reconhecem.


A dor não é insuperável e ter endometriose não significa desistir da vida ou das coisas que você gosta de fazer. O primeiro passo para se sentir melhor é falar sobre o que a dor provoca, não apenas os sintomas externos, mas em como a endometriose afeta você.


Gostou de saber mais sobre a Endometriose? Deixe sua dúvida nos comentários.


Agende sua consulta